De Normal Bastam os Outros

Alto astral. Do dicionário: energia positiva, boas energias, estar feliz. Dessa maneira é possível descrever sucintamente uma das cantoras mais irreverentes do Brasil, Maria Alcina.

Mineira de Cataguases, Maria Alcina ganhou notoriedade em todo o país quando venceu a fase nacional do Festival Internacional da Canção de 1972, interpretando Fio Maravilha (Jorge Ben), um dos maiores sucessos de sua carreira.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“São 43 anos de carreira. Eu comecei no Maracanãzinho cantando a música Fio Maravilha, essa música é eterna, é um hino dos jogadores, só me trouxe felicidades”, contou. Com uma carreira sólida que já dura mais de quatro décadas, Alcina tem a música como um transformador em sua vida. “Eu sempre cantei, sempre busquei a música, a música sempre esteve comigo, ao meu lado e sempre me ajudou, me apoiou, me abraçou, me tornou uma pessoa legal, que queria ser cantora e se transformou numa cantora”, completou.

Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, os três estados tem lugar especial nas lembranças e no coração da cantora. “Eu nasci em Minas, em Cataguases. Fui para o Rio de Janeiro primeiro, a minha carreira acontece lá, no Maracanãzinho. E em São Paulo eu recomeço, eu vou pra São Paulo numa situação de recomeçar toda minha vida, pessoal e artística. Então são lugares que vão estar eternamente no meu coração, pela oportunidade que me deram de existir como uma pessoa e de existir como uma artista”.

Hoje, quinta-feira (08/09), acontece o encerramento das comemorações dos três anos do Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte, com uma sessão especial, do Caffeine Trio, e a participação mais que especial é de Alcina. “Eu olho para plateia e falo, “eu sou daqui também” (risos). E sei que tem uma vibração positiva. É um encontro. Pelo clima que rola, pelo respeito, carinho, tem esse gostinho, a emoção. E eu sinto que com o passar do tempo, eu voltando aqui e trazendo um material que o público goste, essa relação fica cada vez melhor”, conta a cantora sobre a sensação de cantar para o público mineiro.

Em comemoração aos 43 anos de carreira, a cantora lançou este ano seu primeiro DVD, “De Normal Bastam os Outros”. E segue agora um novo projeto interpretando músicas de Caetano Veloso. “Eu tô participando, a convite do produtor Thiago Marques Luiz, de um projeto novo, que tá muito bonito. O título do show é “Corações Vagabundos”, e eu faço esse show com a Cida Moreira e a Zezé Motta, cantando músicas de Caetano Veloso. Estreamos em Teresina (PI), e agora o projeto vai continuar e a ideia é transformar em CD e DVD”, finalizou.

1 comentário Adicione o seu

  1. Welton disse:

    Essa num é gata não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *