Duo lança segundo disco com versões de músicas da MPB para cravo e viola caipira

Obras de Baden Powell, Tom Jobim, Dorival Caymmi, Tavinho Moura, Milton Nascimento, Guinga, Edu Lobo, Hermeto Pascoal e da tradição oral brasileira integram o repertório de O Cravo e a Rosa, novo trabalho do Duo de Viola e Cravo, formado por Patrícia Gatti e Ricardo Matsuda, ex-integrantes do grupo Anima.

No novo trabalho, músicas da MPB ganham interpretações únicas com o som produzido pelo inusitado duo de instrumentos. O cravo, tocado pelas mãos de Patrícia Gatti – uma das principais responsáveis pela atualização do instrumento na música brasileira –, e a viola caipira e o violão por Ricardo Matsuda,  compositor, instrumentista e arranjador. Ambos integraram o premiado Anima, grupo camerístico de Campinas que proporcionou encontros surpreendentes entre a tradição musical brasileira e as influências da música ibérica.

O primeiro CD do duo, Contos Instrumentais, lançado em 2009, tinha composições e arranjos de Ricardo Matsuda e foi aclamado pela crítica especializada. Agora, trilhando novo caminho, com versões de músicas populares, o duo buscou renovação convidando arranjadores de importância no cenário musical nacional como Albano Sales, Ivan Vilela, Tiago Costa, além do Ricardo Matsuda, que incorporaram novas ideias e procedimentos para essa formação instrumental. “A combinação da sonoridade desses dois instrumentos é inusitada. Há pouquíssima referência dela. Então os arranjadores tiveram que buscar soluções originais para o uso conjunto desses instrumentos para criar versões instrumentais de um repertório consagrado, predominantemente composto por canções brasileiras de grande riqueza e representatividade musical. E a brincadeira de estilos de música sugeriu uma aproximação estética e temática de obras de diferentes autores e épocas”, explica Ricardo.

Celeste, Amorosa, Infância e Pescadores formam as aqui denominadas suítes temáticas que compõem esse novo trabalho. “Esse caleidoscópio musical aos poucos foi se formando e as músicas foram se agrupando de forma muito natural. No final, ficou um trabalho muito redondo com equilíbrio e grande sintonia rítmica e harmônica”, resume Patrícia, que se reveza entre o cravo e a espineta. Já Matsuda toca violão, viola de cabaça e viola caipira modelo paulista. A peculiar semelhança de timbres entre a viola caipira e o cravo cria inusitadas imagens sonoras.

“Apesar de o cravo ser um instrumento de histórico aristocrático e a viola ser muito popular, o encontro de ambos produz uma sonoridade única e muito harmônica”, ressalta Ricardo.

A produção e o lançamento do CD fazem parte do projeto O Cravo e a Rosa – Suítes Populares para Cravo e Violas Brasileiras, contemplado no edital de música instrumental de 2015 do ProAc (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo). O CD é lançado pelo selo Kalamata Música, da Direção Cultura Produções.

 

2 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *