Jair Oliveira, 35 Anos de Carreira

No último dia 23 de setembro o Unibes Cultural, em São Paulo, recebeu o compositor, multi-instrumentista, intérprete e arranjador Jair Oliveira em show comemorativo de três décadas de carreira. No espetáculo 20 canções pontuam as várias fases da carreira do artista, iniciada aos 6 anos, quando participou da primeira gravação em um disco do pai, Jair Rodrigues.

“Fui dividindo a minha história em capítulos: o início ao lado de meu pai, os anos com o Balão Mágico, o início como compositor, a fase de músico da noite com os “Artistas Reunidos” e o trabalho autoral solo”, diz Jair.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em entrevista para nosso site o músico falou sobre carreira, música e sobre sua relação com Minas Gerais. Confira:

J.C. – Jair, assim como toda a arte, acredito que a música tenha um poder transformador. O que a música transformou ou tem transformado em você?

J.O. – Realmente a música tem esse poder de transformar as pessoas, os contextos, as realidades. Eu acho que o poder transformador da música é muito grande, porque te modifica não só pro externo, mas principalmente internamente. Isso aconteceu muito comigo e ainda acontece diariamente. Eu desde o começo de minha vida tenho contato com esse poder transformador da música, porque nasci já num ambiente muito musical, primeiramente proporcionado por meu pai, Jair Rodrigues, e depois com várias outras coisas que me influenciam até hoje… Na verdade eu me transformo em música, ela me define, me completa, me abraça… É algo muito bonito, essa relação é muito intensa comigo, com minha história, com minha vida.

J.C. – “Jair Oliveira, 30 Anos de Carreira”, como esse show foi concebido e o que o público pode esperar dele?

J.O. – Na real esse show se chama “Jair Oliveira 30”, ele nasceu em 2011, que foi quando eu completei 30 anos de carreira. Minha carreira começou em 81, com meu pai. Agora eu já tenho 35 anos de carreira. E esse projeto nasceu quando eu resolvi fazer esse show no Ibirapuera para comemorar essa data “redonda” de 30 anos, passando por todas às fases importantes da minha estrada, até então. Esse show a gente transformou em um DVD e em um documentário. O DVD foi lançado em 2014 e o documentário será lançado na TV fechada, mas ainda estamos negociando.

J.C. – Você cresceu na TV, obteve grande sucesso ainda na infância, como foi pra você lidar com isso? Qual o balanço você faz nesses 35 anos?

J.O. – Eu não me considero um profissional de TV, eu me considero um profissional da música, e é diferente, porque o profissional da TV tem outras expectativas sobre o sucesso, ao êxito… Na música você tem várias formas de considerar o sucesso. Pra mim o sucesso já começa quando eu termino uma canção e já acho legal, mesmo que ninguém ouça. A TV, o Rádio, a mídia impressa, a internet são muito importantes, obviamente, mas quando você está ligado à uma expressão artística, como a música, no meu caso, você pode colocar um peso grande na TV, na fama, nas pessoas te conhecerem na rua, que é importante, mas na música tem outras coisas mais sutis que outras pessoas podem achar que não é sucesso, mas é. Pra mim a música precisa ter uma grande dose de satisfação, e eu estou satisfeito de trabalhar com o que eu gosto há 35 anos, pra mim isso já é um grande sucesso.

J.C. – Você tem alguma lembrança ou passagem por Minas que possa nos recordar? Qual sua relação com o estado e com o público mineiro?

J.O. – Eu acho que eu, como todo o brasileiro, tenho uma gratidão imensa por Minas Gerais, por ser um estado que sempre nos presenteou com muitas coisas importantes na música, nas artes, no nosso cotidiano. Minas sempre teve uma grande importância pra todos nós e para o Brasil. Eu acho que um dos últimos shows que fizemos em família, eu, Jair Rodrigues e Luciana Mello foi em Juiz de Fora, foi muito legal e muito bonito. Eu tenho uma influência muito grande, uma influência literária, principalmente de Guimarães Rosa, que eu puxo pra minha música, tem músicas, inclusive, que eu cito trechos de Guimarães Rosa.

J.C. – Você agora está com o show de 30 anos de carreira, pretende viajar com ele? Quais os planos daqui pra frente? 

J.O. – Este show já está no fim do ciclo. Eu comecei ele em 2014, já com um certo atraso, eu comemorei os 30 anos em 2011. Agora os meus planos incluem o início de um projeto solo pro ano que vem. Este ano eu fiquei muito focado num projeto chamado “Grandes Pequeninos”, que é um projeto meu, da minha esposa e das minhas filhas. A gente tem focado muito no nosso canal no youtube, youtube.com/grandespequeninos, e nos shows que a gente tem feito, por enquanto nenhum programado pra Minas, mas a gente espera que aconteça logo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *