Minas é Terra de gente boa, diz Nathalia Timberg

Foi em seu camarim, no Teatro Nair Belo, em São Paulo que a dama do teatro brasileiro Nathalia Timber me recebeu para um bate-papo exclusivo. “Então quer dizer que você veio da “terra boa” conversar comigo?”,  perguntou a atriz segurando minhas mãos.

Com 86 anos Nathalia, que ganhou recentemente um teatro no Rio de Janeiro com seu nome, estreou dia 9 de setembro o espetáculo 33 VARIAÇÕES, texto do venezuelano Moisés Kaufman que já foi sucesso na Broadway e por aqui ganha direção de Wolf Maya. 

Na montagem, a atriz interpreta o papel que foi de Jane Fonda em 2009, o de uma musicóloga que viaja pelo mundo em busca de pistas para desvendar o mistério do motivo pelo qual Ludwig van Beethoven compôs 33 variações para a valsa criada por um então obscuro compositor, Anton Diabelli. “Esse é o primeiro musical erudito feito no Brasil, que muitas vezes pode assustar um pouco, mas de repente você vê alguém na plateia que diz: “gente, eu gosto de Beethoven”. E é algo que alimenta a alma”, conta.

1

Escolhido pela própria Nathalia, e traduzido por ela, o texto de Kaufman ganhou uma versão brasileira com mais liberdade. “Não é a primeira vez que eu faço a tradução de um texto, muito pelo contrário, já foram inúmeras peças em que participei de todo o processo. Mas trabalhar com o Wolf é diferente, é uma honra tê-lo como diretor e no palco vivendo Beethoven”, explica a atriz.

Para Timberg a montagem de 33 VARIAÇÕES traz leveza ao universo da música erudita, que é mais formal e por muitas vezes assusta o público. “A música é a propulsora do espetáculo, o que torna a peça diferenciada e com uma dramaticidade interessante”, relata.

Serviço: 

33 VARIAÇÕES

TEATRO NAIR BELLO – SHOPPING FREI CANECA

Temporada: Sextas-feiras e sábados às 21 horas e domingos às 19 horas. Até 11 de dezembro

Ingressos: R$ 120,00 e R$ 60,00 (meia-entrada) a venda pelo site www.ingresso.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *