O Crava e a Rosa, uma novela inspirada em A Megera Domada

O Cravo e a Rosa  foi a primeira novela do autor Walcyr Carrasco na Rede Globo, e ainda marcou o retorno à emissora do diretor Walter Avancini.

A trama foi inspirada no clássico A Megera Domada, de Shakespeare, e trazia também referências à telenovela O Machão, escrita em 1965 por Ivani Ribeiro para a TV Excelsior e readaptada em 1974 por Sérgio Jockyman para a TV Tupi.

O autor também conta que se inspirou na peça Cyrano de Bergerac, escrita em 1897 pelo francês Edmond Rostand, para caracterizar o triângulo amoroso formado por Edmundo (Ângelo Antônio), Bianca (Leandra Leal) e Heitor (Rodrigo Faro).

21061719_20131128120216066
O Cravo e a Rosa – 2000 (Rede Globo)

A obra também foi marcante para Pedro Paulo Rangel por, entre outros motivos, ter sido a última vez que trabalhou com Walter Avancini. O ator contou que o diretor já estava fragilizado fisicamente, mas continuava a dirigir com a mesma postura crítica e exigente. Para interpretar o personagem Calixto, Pedro Paulo aprendeu a ordenhar vaca.

Por fim, o grande destaque da trilha sonora de O Cravo e a Rosa  foi a canção de abertura, versão de Zeca Pagodinho para Jura, samba de Sinhô imortalizado em 1929 por Mário Reis. A trilha contava ainda, entre suas 14 faixas, com uma gravação de Ella Fitzgerald e Count Basie para Tea for Two, composta em 1925 por Vincent Youmans e Irwing Caesar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *