Perigosas Peruas, à la Frenéticas

Estreava em 10 de fevereiro de 1992 Perigosas Peruas. Novela produzida e exibida pela Rede Globo em 173 capítulos. Escrita por Carlos Lombardi, com supervisão de texto de Lauro César Muniz e direção geral de Roberto Talma.

Na trama, Cidinha e Leda, respectivamente interpretadas por Vera Fischer e Silvia Pfeifer, são duas amigas que seguiram caminhos opostos. Cidinha se tornou uma dona-de-casa que jamais pensou em trabalhar fora, já Leda se transforma em uma profissional bem sucedida, com aversão à vida tradicional. Mas, ambas são apaixonadas por Belo, Mário Gomes, marido de Cidinha.

Anos depois as amigas se reencontram e a disputa pelo mesmo homem reacende velhas rivalidades. Mais ainda quando a filha de Belo e Leda, criada por Cidinha, descobre que foi trocada na maternidade. Entretanto os problemas estão só começando, Belo trabalha para uma família da Máfia, que envolve o rapaz em um grande problema: ou ele mata Leda e Cidinha, ou a Máfia o mata.

Image (36)
Perigosas Peruas – 1992 (Rede Globo)

O tema de abertura da novela foi gravado especialmente pelo grupo As Frenéticas e desenhada pelo cartunista Miguel Paiva. Perigosas Peruas teve também duas mudanças importantes, a tentativa de suicídio de Tuca, personagem de Natália Lage, foi cortada; e o final escrito para Belo, que iria morrer perto capítulo 100, mas ficou até o fim devido a grande empatia com o público.

Por fim, Vera Fischer chegou a ser cortada da trama por conta de problemas com a produção no início das gravações. Para seu papel foram cogitadas Natália do Valle, Bruna Lombardi e Maria Zilda Bethlem, mas ambas recusaram. Vera então pediu para continuar e a personagem foi um sucesso. Anos mais tarde voltaria a enfrentar problemas com a produção de Pátria Minha, entretanto não teve a mesma sorte, foi tirada do folhetim, morta em um incêndio.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *