Polêmicas e Curiosidades em A Força do Querer

Sucesso de crítica e audiência, A Força do Querer estreou com 33 pontos. Em sua primeira semana, a novela fechou com 32 pontos de média, superando as quatro antecessoras, BabilôniaA Regra do JogoVelho Chico e A Lei do Amor, sendo a segunda maior audiência desde Amor à Vida, superada apenas por Império.

Envolvida de polêmicas, controvérsias e curiosidades, veja aqui algumas:

vera-21

Vera Fischer foi escolhida para interpretar Elvira, mas a atriz havia reclamado para a imprensa sobre o pouco destaque de sua personagem em Salve Jorge, em 2012, trama também escrita por Glória Perez, e acabou ficando de fora da escalação da novela. A personagem ficou para Betty Faria.

a_forca_do_querer_isis_valverde_agua_free_big_fixed_big

 A personagem de Ísis Valverde é adepta do sereismo, uma prática comum no mundo. Ela acredita que é uma sereia e que exerce poder sobre os homens. As praticantes chegam a fazer cursos de apneia (para ficar mais tempo debaixo d’água) e confeccionam caudas.

5842075_x216

“Nordestinação” no estado do Pará. Desde a estreia a novela vem sofrendo críticas pela utilização de sotaque nordestino no estado do Pará e como o estado é abordado na novela, como por exemplo a existência de um aquário localizado no Ver-o-peso, geraram uma divisão de opiniões entre os telespectadores. Em nota Glória Perez, autora da novela, afirmou que a A Força do Querer não se passa na capital paraense e sim na cidade fictícia de “Parazinho” e justificou que a obra é uma ficção sem compromisso de ser fiel a realidade.

ivana-2

Transexualidade. Ivana, personagem de Carol Duarte, é filha de uma mãe que cultua a feminilidade e a beleza e quer que a filha seja sua extensão, entretanto a jovem é um homem trans, vivendo no corpo de uma mulher e tudo que ela sonha e quer é conseguir se encontrar e resgatar a sua identidade.

silvana-lilia-cabral-aposta-o-carro-em-a-forca-do-querer-1499960201584_v2_900x506

A atriz Lilia Cabral, que vive a personagem Silvana, mergulhou no mundo dos jogadores compulsivos. Na história, a arquiteta é viciada em pôquer e chega a enganar, forjar situações e envolver pessoas próximas em suas mentiras para continuar frequentando as mesas verdes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *