Salomé, a tentativa que não deu certo

Salomé foi uma telenovela das 18 horas, exibida pela Rede Globo entre 3 de junho e 4 de outubro de 1991. Foi o único folhetim assinado como autor principal por Sérgio Marques, livremente inspirada no romance homônimo de Menotti del Picchia, e direção geral e núcleo de Herval Rossano.

maxresdefault
Salomé – 1991 (Rede Globo)

 

A história se passava em São Paulo na década de 1930, Salomé, personagem de Patrícia Pillar, é uma jovem muito à frente de seu tempo. Ousada e rebelde, escandaliza a sociedade com a dança de véus em que fica seminua nos palcos de Paris. Por este motivo, o padrasto a obriga a voltar ao Brasil. Chegando a São Paulo, vai morar na Fazenda de Pindorama, onde conhece Duda, interpretado por Petrônio Gontijo, por quem se apaixona. Os conflitos aumentam e a vida de Salomé se torna um inferno quando ela se transforma no alvo dos assédios do padrasto e descobre que sua mãe, Santa, está apaixonada por Duda.

Entre os fatos inusitados sobre a obra está seu projeto que, inicialmente, seria desenvolvido por Gilberto Braga em 1978, entretanto o autor passou para o núcleo das 20 horas, ao qual estreou com Dancin´ Days. Havia sido projetada em apenas 60 capítulos, sendo vetada por Boni, diretor geral da emissora na época, e acabou sendo finalizada com 107 capítulos. Salomé também foi a segunda e última tentativa da Globo de apresentar uma novela totalmente gravada antes de sua estreia, sua antecessora foi Pacto de Sangue, em 1989. Ambas foram um desastre, não conquistaram nem repercussão nem bons índices de audiência.

E, por fim, a tentativa que não deu certo causou tanto impacto que a Rede Globo ficou quase 8 anos sem produzir uma novela de época não só no horário das 6, mas também nos horários das 7 e das 8. O retorno veio apenas em 1999, com Força de um Desejo, de Gilberto Braga e Alcides Nogueira.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *